terça-feira, 21 de novembro de 2017

Borboletas na barriga *

Há várias formas de expressar, e o silêncio remete-se a um determinado sentimento. Bom. Mau. Sentir uma certa diversidade de palpitações, quando o coração começa a acelerar de cada vez que um olhar surge entre paredes outrora desconhecidas. Há uma melodia que toca, quando na voz se profere palavras, nem sempre aquelas que queremos ouvir. Há um caminho, um suspiro, um fechar de olhos, e a espera de que aquilo não seja em vão. Há a ansiedade que as horas passem e o momento em que a chegada seja transportada para um lugar diferente.
O destino chegou no momento certo, e não é por acaso que o caminho seja trilhado, traçado, e essencialmente cruzado por duas pessoas... Na diferença encontramos o uníssono perfeito. Tu, tu e apenas tu. E nesta caminhada, ainda prematura queres respostas daquilo que constróis dentro de ti. A esperança da felicidade constante. O medo da desilusão.
Ainda assim, o tom da tua voz, é a única coisa que quero ouvir antes de pegar no sono e sonhar contigo. 



segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Três anos depois...

...
e o meu sentimento continua aqui. Três anos depois e ainda sinto o cheiro do quarto, ainda ouço o silêncio do CTG! Três anos depois e ainda te sinto dentro de mim. 
É quando tudo se começa a desmoronar que eu te procuro, não é egoísmo, muito menos hipocrisia, é esperança de encontrar sempre na ausência da tua presença o conforto que eu não consigo encontrar aqui. Sei que estás aí, sei que me continuas a proteger dia após dia, sinto-te... Mas não consigo ainda combater a dor. A dor apodera-se do meu peito várias vezes ao dia, mas solto um sorriso, porque os sorrisos vão sempre ajudar-me a lembrar que tu exististe. Sorrio porque a vida é mais poderosa do que a dor que se apodera. Simplesmente sorrio, por ti, para ti, por nós, e pela luta que eu sei que será sempre minha.  Já passaram três anos, parece tanto e é ainda tão pouco. Uma vida renasceu, e eu prometi que daria todo o meu amor por ele, e assim o faço. O teu mano é  o menino mais amado do mundo, o menino mais feliz, e nunca mesmo nunca deixarei que lhe falte um sorriso na cara. Todo aquele amor que eu fui privada de te dar, transbordo-o para o mano. É tão estúpido dizer isto, fico sempre com a sensação de egoismo, mas não é... 
Meu amor,
há dias que o tempo ajuda-me a viver com mais serenidade, há dias que tudo parece tão fácil, que um simples vai ficar tudo bem ajuda tanto, mas hoje não é de todo um desses dias, e não sei se o facto de ultimamente as coisas andarem não tão fáceis como habitualmente está ajudar! Mas a verdade é que hoje, tenho saudades tuas, hoje o dia era para ti também. Levar o mano à escola, mesmo doentinho, por ser dia do pijama, ver os meninos felizes a brincarem deixa-me a pensar que hoje, também era um dia para tu estares feliz, para tu brincares... e a vida privou-nos disso.
Morro de saudades tuas todos os dias. E ver o teu mano crescer faz-me acreditar que tu estás ali. Ele vai ter sempre um bocadinho de ti. Conforta-me tanto o coração sentir todos os dias a tua presença nos sorrisos dele, nos abraços, quando ele vem a correr nos meus braços, conforta-me saber que tu estás aqui, comigo, para sempre.